08.08.08

Dia 7

Não muito depois de termos adormecido, fomos acordados pela revisora para mostrar os bilhetes e deixar entrar três rapazes com ar de Alemães. Foi bastante irritante pois, para além de nos ter acordado, agora teríamos de nos encolher e dormir sentados. Enfim. Nada a fazer.

 

Depois de uma noite nada bem passada onde nem vontade houve para conversar com os rapazes, chegámos a Belgrado. Íamos a dormir quando outros passageiros bateram à porta do compartimento para nos avisar que já tínhamos chegado. Foi, por isso, um acordar um pouco turbolento. Pegámos nas mochilas e saímos do comboio.

 

Image Hosted by ImageShack.us

 

O primeiro impacto não foi muito agradável. Cidade cinzenta, ambiente pesado, feio. Mas íamos lá passar um dia, por isso, não precisávamos de ficar apenas pela primeira impressão. Como o posto de informações ainda estava fechado (eram 7 horas da manhã), fomos à procura de um hotel onde pudéssemos obter ajuda em inglês de como chegar ao centro da cidade. Quinhentos metros depois encontrámos. O recepcionista já tinha estado na Figueira da Foz e até dizia umas palavras em Português. Foi muito prestável e arranjou-nos vários folhetos da cidade e um útil mapa.

 

Tendo tudo o que necessitávamos para conhecer a cidade, fomos em direcção ao centro (acompanhados por um cão rafeiro que fazia questão de não nos largar). Enquanto a cidade acordava, nós procurávamos um supermercado. Não estava fácil mas lá encontrámos. Não me apeteceu nada. Estava com vontade de tomar um pequeno-almoço diferente. Por isso, depois de eles acabarem de comer fomos à procura de um café.

 

Encontrámos um café agradável na principal rua de Belgrado. Esplanada. Café com leite e um pão com tudo aquilo que achei ter direito. Delicioso. Ficámos por ali mais de uma hora. A conta ia ser alta, por isso, tínhamos de aproveitar bem. Houve tempo para tudo menos para dormir (com alguma pena nossa). Se o empregado não viesse trazer a conta (com a clara intenção de fazer com que desaparecêssemos dali), acho que ficávamos por ali mais umas horas. Assim, paguei e saímos.

 

 

 

Fomos conhecer a Fortaleza de Belgrado que, apesar de não ser algo extraordinário, tinha uma vista bonita para o Danúbio para além dos vários tanques e outros elementos militares por ali espalhados. Quase à saída daquela zona, encontrámos um grupo de dança folclórica da Sérvia. Ficámos a ver. Giro. No fim, fui perguntar o nome da dança mas a resposta foi indecifrável. Ainda assim, deu para tirar uma foto com eles.

 

Como eles iam para o centro, fomos atrás deles. Belgrado não parecia ter muito para ver para além do que já tínhamos visto e de uma enorme Igreja Ortodoxa. A Igreja estava mais perto da estação, por isso, decidimos ir lá ao fim da tarde antes de voltarmos para a estação. Até lá, ficámos a passear no centro. Almoçámos tarde, descansámos um pouco e fomos ver a Igreja. O exterior era líndissimo mas o interior estava em reabilitação e poucas foram as partes que corresponderam às expectativas criadas pelo exterior.

 

Image Hosted by ImageShack.us

 

Saídos da Igreja, começámos a dirigir-nos para a estação mas ainda parámos no McDonalds para comer qualquer coisa e comprar algo para a viagem. Continuámos em direcção à estação. No caminho, vimos um prédio do exército que foi bombardeado pela NATO em 1999 e não foi reabilitado. Mesmo assim, uma parte mantém-se erguida.

 

Finalmente chegámos à estação. Estava estourado. Eles ainda foram a um mini-mercado mas eu fiquei na estação. Quando voltaram fomos procurar a linha do comboio para Sofia e entrámos. Faltava meia hora ainda. Comecei a arrumar as mochilas e, quando ia tirar o bilhete e o passaporte, reparei que não os tinha. Desgraça.

 

Image Hosted by ImageShack.us

 

Saí logo do comboio à procura de algo parecido com Perdidos e Achados porque o mais provável era ter deixado o bilhete e o passaporte no comboio de manhã. Terrível. Ou não falavam inglês ou não faziam ideia de onde poderia procurar. Não ia dar tempo para ir naquela comboio para Sofia, por isso, fui buscar as mochilas e avisá-los. Eles saíram comigo.

 

Nas últimas horas do dia andámos do posto da polícia para as informações, das informações para outro posto da polícia e ninguém nos conseguia dar mais informações do que aquelas que qualquer turista dispõe. Voltámos então para a estação. Mais valia passar a noite por lá e de manhã cedo tentar ir à Embaixada de Portugal. Que fim de dia. Terrível.

publicado por José Oliveira às 00:19

Agosto 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
12
13
15

19
22
23

24
25
27
28
29



pesquisar
 
preocupações arquivadas
2012:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2011:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2008:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2007:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2006:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


no Mundo

 

Alemanha

 


 

Áustria

 


 

Bélgica

 


 

Croácia

 


 

Eslovénia

 


 

Espanha

 


 

Estados Unidos da América

 


 

Finlândia

 


 

França

 


 

Hungria

 


 

Inglaterra

 


 

Itália

 


 

Mónaco

 


 

Polónia

 


 

Portugal

 


 

República Checa

 


 

Sérvia