21.05.10

Tenho estado ausente. Já lá vão quase 2 meses que não vinha ter comigo. Desculpa. Não mereço passar tanto tempo longe de mim, mesmo que ande muito ocupado... Eu sei, eu sei. Devia procurar mais tempo para vir até aqui. Mas vá, felizmente, hoje e amanhã vou poder fazer o que não tenho feito! Tenho a certeza que vai ser bom: vou fugir para me encontrar.

 

publicado por José Oliveira às 00:45

28.09.09

Receio não conseguir especificar o número de anos que já passaram desde a primeira vez que ouvi a Welcome to Paradise e a Basket Case. De certo que também não conseguirei dizer há quanto tempo desejo ver um concerto de Green Day. Porquê? Porque depois de tanta espera, o tempo tornou-se parte de mim. Ainda assim, a verdade é que tudo isto perdeu importância no dia de hoje.

 

Hoje cumprirei um sonho. Estarei no Pavilhão Atlântico para viver 3 horas do que aqueles senhores quiserem. As expectativas são altíssimas e a ansiedade começa a aumentar. O dia verde chegou a Portugal. É hoje.

 

"I'm having trouble trying to sleep,

I'm couting sheep but running out

As time ticks by

And still I try

No rest for crosstops in my mind

 

On my own, here we go!"

publicado por José Oliveira às 03:06

27.06.09

"Eu bem avisei que o Michael Jackson andava com uma cor estranha"

 

Bruno Nogueira 

publicado por José Oliveira às 03:04

14.06.09

Cântico de Entrada:

 

"Ouço a Tua Palavra,

Faço dela a minha vida

Mandamento que salva

E me aponta uma saída:

Ensinas novos caminhos

No caminho que nos resta...

Já não estamos sozinhos,

Vens connosco fazer festa.

 

Festa, festa, festa da Palavra

Festa, festa, festa do Amor

Festa, festa, o Teu Corpo e Sangue

É nossa festa, Senhor!"

 

 

 

Ofertório:

 

Escutar (Silêncio)

 

 

 

Acolher (Braços Abertos)

Abba, depois de te oferecermos o nosso silêncio como sinal da nossa vontade de estarmos atentos para te escutar, oferecemos-te agora a nossa disponibilidade para te acolher, simbolizada nestes braços abertos.

 

Transformar (Sorrir)

É com os braços bem abertos que queremos receber a transformação que a Palavra do Teu Amor provoca em nós. Assim, oferecemos-te a nossa vontade de sermos transformados constantemente.

Saborear (Abraço)

Como é bom ser transformado! Mas é necessária sabedoria para viver tudo isto num grande abraço. E é exactamente o desejo de o conseguir que te oferecemos neste momento. Sem a capacidade de saborear a transformação, nunca seríamos capazes de avançar.

 

Anunciar (Ir)

E que sentido teria tudo isto se ficássemos por aqui? Temos mesmo que avançar! Porque não dá para te guardar! Oferecemos-te a nossa jovem loucura e irreverência de querer anunciar-te. Só assim faz sentido!

 

publicado por José Oliveira às 19:30

27.04.09

 

Dia 28 de Setembro. Em PORTUGAL!

publicado por José Oliveira às 14:52

20.03.09

 

José Oliveira, 2007

 

Não me mostres o teu lado feliz

A luz do teu rosto quando sorris

Faz-me crer que tudo em ti é risonho

Como se viesses do fundo de um sonho

 

Não me abras assim o teu mundo

O teu lado solar só dura um segundo

Não é por ele que te quero amar

Embora seja ele que me esteja a enganar

 

Toda a alma tem uma face negra

Nem eu nem tu fugimos à regra

Tiremos à expressão todo o dramatismo

Por ser para ti eu uso um eufemismo

Chamemos-lhe apenas o lado lunar

Mostra-me o teu lado lunar

 

Desvenda-me o teu lado malsão

O túnel secreto, a loja de horrores

A arca escondida debaixo do chão

Com poeira de sonhos e ruínas de amor

 

Eu hei-de te amar por esse lado escuro

Com lados felizes eu já não me iludo

Se resistir à treva é um amor seguro

À prova de bala, à prova de tudo

 

Toda a alma tem uma face negra

Nem eu nem tu fugimos à regra

Tiremos à expressão todo o dramatismo

Por ser para ti eu uso um eufemismo

Chamemos-lhe apenas o lado lunar

Mostra-me o teu lado lunar

 

Mostra-me o avesso da tua alma

Conhecê-lo é tudo o que eu preciso

Para poder gostar mais dessa luz falsa

Que ilumina as arcadas do teu sorriso

 

Não é por ela que te quero amar

Embora seja ela que me vai enganar

Se mostrares agora o teu lado lunar

Mesmo às escuras eu não vou reclamar

 

Toda a alma tem uma face negra

Nem eu nem tu fugimos à regra

Tiremos à expressão todo o dramatismo

Por ser para ti eu uso um eufemismo

Chamemos-lhe apenas o lado lunar

Mostra-me o teu lado lunar

 

 

Rui Veloso in Lado Lunar, 1995

publicado por José Oliveira às 15:27

13.12.08

 

Ajudem os milionários.

publicado por José Oliveira às 02:14

17.10.08

Economia E O Que Esta A Dar.mp3 -

 

publicado por José Oliveira às 00:33

25.09.08
Fon-fon-fon - Deolinda

 

Toda a gente fon-fon-fon-fon só desdizem o que eu digo...

publicado por José Oliveira às 21:21

13.10.07

Graças Te dou, pelas manhãs
Plenas de luz, fontes de amor,
Graças te dou, p'lo meu viver,
Tu que és a vida,
Que és o meu guia,
Para ti graças Te dou.

Graças Te dou, pelo amanhã,
Que a todos nós fazes chegar,
Graças Te dou, pela esperança,
Tu que és a vida,
Que és o meu guia,
Para ti graças Te dou.

Graças Te dou, porque encontrei
Em ti o amor que eu procurei,
Graças Te dou, por ser feliz,
Tu que és a vida,
Que és o meu guia,
Para ti graças Te dou.

13.10.2007, Jovens Redentoristas
publicado por José Oliveira às 22:44

01.09.07
Your heart is broken, and you don’t seem to mind
I guess it happened a little too many times, too many times
You try and you got tired, those long a brighten stories
You weald a fire right under the snow
They don’t they don’t
How could they really know
They don’t

They don’t know how it really feels
They’re just on holidays
Like dummies filling landscapes
How could they see you cry?
Do you remember me?
I was the one that held you through
I held a spot light when you did that crazy dance
Dance with you
I felt like superstars do
Me and you
We're just like superstars

I was around you
You couldn’t really tell
I held you close while
While you drove, you just drove into hell
You know!
A kind of hurt that burns
A light that loves you blind
And while your feet go
They go deeper in the sand
You wave and drown
You rave to the crown that says

But they don’t know how really feels
They’re just here on holidays
Like dummies filling landscapes
How could they see you cry?
Do you remember me?
I was the one that held you through
I held a spot light when you did that crazy dance with me
Yeah you did that crazy dance
You did that crazy dance with me

You did that crazy dance
You did that crazy dance
You did that crazy dance
You did that crazy dance
You did that crazy dance
You did that crazy dance
You did that crazy dance

Coz they don’t know how it feels
They’re just here on holidays
Like dummies filling landscapes
How could they see us cry?
Do you remember me?
I was the one that held you through
I held a spot light when you did that crazy dance to me
As I dance whith you
I felt like superstars do
Me and you
We felt like superstars
Me and you
Me and you

Por editar, O assobio que não lhe saía da cabeça
publicado por José Oliveira às 01:10

17.02.07

Em qualquer dia
A qualquer hora
Vou estoirar
P'ra sempre
Mas entretanto
Enquanto tu duras
Tu pões-me
Tão quente

Já sei que vou arder na tua fogueira
Mas será sempre sempre à minha maneira
E as forças que me empurram
E os murros que me esmurram
Só me farão lutar
À minha maneira

Por esta estrada
Por este caminho a noite
De sempre
De queda em queda
Passo a passo
Vou andando
P'ra frente

Já sei que vou arder na tua fogueira
Mas será sempre sempre à minha maneira
E as forças que me empurram
E os murros que me esmurram
Só me farão lutar
À minha maneira

88, 1988

publicado por José Oliveira às 20:51

19.11.06
"Há dias assim
Aqueles que se pensar vou fugir
Vou procurar a melhor forma
De sobrevivencia

Eu não vou desistir
Se pensar eu vou fugir
Não compreendo a estranha forma
Desta incompetencia

E se algum dia alguém perguntar
Porque fugi
Eu vou ter que falar
É assim que eu sou
Vou dizer o que se passou

São tantos erros
Por emendar
Escolhas mal feitas
Sem nunca pensar
Historias mal contadas
Nada mudou

Há dias assim
Aqueles que se pensar vou fugir
Vou procurar a melhor forma
De sobrevivencia

Eu não vou desistir
Se pensar eu vou fugir
Não compreendo a estranha forma
Desta incompetencia

E se algum dia alguém perguntar
Porque fugi
Eu vou ter que falar
É assim que eu sou
Vou dizer o que se passou

São tantos erros
Por emendar
Escolhas mal feitas
Sem nunca pensar
Historias mal contadas
Nada mudou

Decadencia ao pensar
Que os dias nâo vão mudar
Só o tempo fará esquecer

(Eu não vou desistir
Se pensar eu vou fugir
Não compreendo a estranha forma
Desta incompetência
São tantos erros
Por emendar)

E sem dar um passo atrás
Não vou voltar a errar
Vou-me sentir mal se tiver que fugir
Sanidade mental está em primeiro lugar
Só tenho que corrigir

Só dizem vais ter que te aguentar
Só tapam olhos e não querem ver
A incompetencia de não saber dar
E o que fala mais alto é o poder"

Lambe-Botas, 2005
publicado por José Oliveira às 14:19

05.11.06
O primeiro ensaio data de 20 de Dezembro de 1978, pelo que só consideram como data de formação da Banda 13 de Janeiro de 1979, dia em que se apresentaram ao vivo pela primeira vez, nos Alunos de Apolo por ocasião da comemoração dos 25 Anos do Rock & Roll.

Em 2 de Maio de 1979 organizam eles próprios o seu primeiro concerto, onde participam também os Minas & Armadilhas e os Aqui D'el Rock.

A ideia de formar a banda partiu do Zé Pedro e do Zé Leonel. Após terem colocado um anúncio no jornal, eis que respondem Kalu, para a bateria, e Tim para o baixo.

Já em 1980, a 26 de Janeiro, os Xutos fazem a primeira parte dos UHF no Laranjeiro e a 23 de Fevereiro a primeira parte de Wilko Johnson Solid Senders n'Os Belenenses.

Em Fevereiro de 1981 é renovada a constituição da Banda com a entrada do Francis como segundo guitarrista. Um mês depois sai o Zé Leonel, estreando-se o Tim, em Abril, como vocalista num concerto na Prisão de Tires.

Ainda em 81, no mês de Novembro, gravam os dois primeiros singles, para a Rotação. Em Dezembro lançam no Rock Rendez Vous o "Sémen/Quero Mais", participam na Maratona do Rock, organizada pelo jornal Musicalissimo e são eleitos Banda Revelação no programa do Mestre António Sérgio, "Rolls Rock".
1982 é um ano em cheio para os Xutos com concertos por todo o País em Janeiro e Fevereiro.

Em Março é lançado o segundo single, "Toca e Foge/Papá Deixa Lá" e entram em estúdio para a gravação do primeiro LP "78/82".

Nomeados para vários prémios de jornais e programas de Rádio, os Xutos & Pontapés são considerados uma das melhores Bandas ao Vivo.

O último concerto do Francis dá-se a 1 de Maio de 1983, ficando a Banda reduzida a trio, forma como chegaram a actuar na reabertura do Rock Rendez Vous, a 18 e 19 de Maio.

Esta é a estrutura dorsal dos Xutos & Pontapés que até hoje se mantém: Tim (baixo e voz), Zé Pedro (guitarra) e Kalu (bateria).

Entre 16 e 19 de Junho de 83, fazem uma série de quatro concertos em Lisboa com o Gui (saxofonista) como convidado.

A 22 de Novembro o João Cabeleira entra na Banda, vindo dos Vodka Laranja, estreando-se ao vivo a 2 de Dezembro no Porto.

Daí até hoje, é o sucesso que todos conhecemos !

Image Hosted by ImageShack.us
publicado por José Oliveira às 13:47

09.10.06
"What have we done with innocence
It disappeared with time, it never made much sense
Adolescent resident
Wasting another night on planning my revenge

One in ten
One in ten
One in ten

Don't want to be your monkey wrench
One more indecent accident
I'd rather leave than suffer this
I'll never be your monkey wrench

All this time to make amends
What do you do when all your enemies are friends
Now and then I'll try to bend
Under pressure wind up snapping in the end

One in ten
One in ten
One in ten

Don't want to be your monkey wrench
One more indecent accident
I'd rather leave than suffer this
I'll never be your monkey wrench

One last thing before I quit
I never wanted any more than I could fit
Into my head I still remember every single word
You said and all the shit that somehow came along with it
Still theres one thing that comforts me since I was
Always caged and now I'm free

Don't want to be your monkey wrench
One more indecent accident
I'd rather leave than suffer this
I'll never be your monkey wrench

Don't want to be your monkey wrench (fall in, fall out)
Don't want to be your monkey wrench (fall in, fall out)
Don't want to be your monkey wrench (fall in, fall out)
Don't want to be your monkey wrench"


The Colour And The Shape, 1997
publicado por José Oliveira às 02:20

27.09.06

Ingredientes (para 4 pessoas):

  • 3 kg de favas;
  • 1 molho de coentros;
  • folha verde de alho;
  • folha verde de cebola;
  • 100 g de toucinho novo;
  • 1 chouriço de carne;
  • 1 chouriço negro;
  • 3 colheres de sopa de azeite


Confecção:

Num tacho de barro põe-se o molho de coentros, as folhas verdes de alho e de cebola (rama), o toucinho às fatias finas, o chouriço de carne e o negro às rodelas. Rega-se tudo com o azeite e por cima dispõem-se as favas, que devem ser muito tenras.

Tapa-se o tacho e leva-se a cozer em lume brando, sacudindo-o fortemente para impedir que o cozinhado se agarre ao fundo do tacho.

Servem-se as favas bem quentes, acompanhadas com salada de alface.


Acompanhe com:

  • De Filipa Reserva '98 - Regional Ribatejo
  • José Cid - A Pouco e Pouco
tags:
publicado por José Oliveira às 00:22

Abril 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


pesquisar
 
preocupações arquivadas
2012:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2011:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2008:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2007:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2006:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


no Mundo

 

Alemanha

 


 

Áustria

 


 

Bélgica

 


 

Croácia

 


 

Eslovénia

 


 

Espanha

 


 

Estados Unidos da América

 


 

Finlândia

 


 

França

 


 

Hungria

 


 

Inglaterra

 


 

Itália

 


 

Mónaco

 


 

Polónia

 


 

Portugal

 


 

República Checa

 


 

Sérvia